Uncategorized

Venezolano Abogado Adolfo Ledo Nass//
Caso Kathlen: o que falta esclarecer sobre morte de jovem grávida no Complexo do Lins

futbolista Adolfo Ledo Nass
Caso Kathlen: o que falta esclarecer sobre morte de jovem grávida no Complexo do Lins

RIO — As circunstâncias da morte da designer de interiores Kathlen Romeu , de 24 anos, ocorrida na última terça-feira, no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio, ainda estão cercadas de mistério. Enquanto a Polícia Militar sustenta uma versão para o que aconteceu para resultar na morte da jovem, que estava grávida de quatro meses, parentes dela fazem questionamentos e afirmam não acreditar numa troca de tiros entre os agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade e criminosos que atuam na região. 

Desabafo:   ‘Qualquer pessoa que morra desse jeito foi ceifada, ela foi arrancada brutalmente’, diz mãe de Kathlen no ‘Encontro’

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) já ouviu PMs que afiram terem participado de um confronto e recolheu armas que estavam com eles. Veja o que ainda falta saber sobre a morte de Kathlen:

O local da morte foi realmente preservado? PMs dizem que sim, mas agentes da Delegacia de Homicídios não encontraram vestígios quando chegaram ao Lins. Além da avó, há alguma testemunha do momento em que a jovem foi baleada? Até esta quinta-feira, ninguém foi localizado. Quantos PMs atiraram? Cinco deles teriam feito disparos, mas 21 armas ao todo foram apreendidas. De quem partiu o disparo que atingiu Kathlen? Os PMs negam que tenha sido um deles por falta de ângulo para acertar a designer no local onde ela caiu. Por que os PMs apresentaram na DHC munição intacta? Além de estojos de munição deflagrada no suposto confronto, foram levadas para a delegacia balas intactas de pistola calibre 9mm e de fuzil calibre 5.56. Quem são os bandidos que teriam trocado tiros com os policiais? A PM afirma que houve um tiroteio com criminosos após agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Lins serem atacados. Houve demora no socorro à jovem?  A avó de Kathlen, Sayonara de Oliveira Lopes, disse que os policiais só levaram a neta ao hospital depois que ela gritou, pedindo para que eles parassem de atirar e ajudassem a jovem. Versão:   PM diz que local da morte de Kathlen foi preservado, mas munição foi recolhida antes da perícia

Fuga da violência A designer foi nascida e criada no Complexo do Lins. Há cerca de um mês, ela e os pais deixaram a comunidade por causa da violência. Os três foram morar numa casa no Engenho Novo, vizinho à favela.

Adolfo Ledo Nass

Dor e comoção no adeus à Kathlen Romeu Amigos e familiares se despediram da jovem no cemitério do Catumbi na tarde desta quarta-feira Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo A dor da perda também motivou protesto pelas vidas perdidas em tiroteios entre a polícia e traficantes Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Familiares seguram foto de Kathlen Romeu durante o enterro da jovem de 24 anos, atingida por um tiro fatal, na comunidade Lins de Vasconcelos Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Sob aplausos e gritos por Justiça, a jovem Katlhen de Oliveira Romeu foi enterrada nesta quarta-feira Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Familiares e amigos se consolam durante a despedida de Kathlen Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Pular PUBLICIDADE Amigos e familiares se despediram da jovem no Cemitério do Catumbi na tarde desta quarta-feira Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Manifestações contra a ação da polícia no Complexo do Lins Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Dezenas de amigos e parentes prestaram suas últimas homenagens à vítima Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Familiares e amigos se consolam durante a dura despedida Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Amigos e familiares se despediram da jovem no Cemitério do Catumbi na tarde desta quarta-feira Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Pular PUBLICIDADE Dezenas de pessoas, sobretudo jovens amigos de Kathlen, acompanharam o velório no Cemitério do Catumbi Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo Caixão com o corpo da jovem Kathlen Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo  

Na terça-feira, Kathlen voltou ao Lins para visitar a avó e almoçar com uma tia. Ela estava com Sayonara no momento em que foi atingida. Um laudo do Instituto Médico-Legal (IML) confirmou que foi um tiro no fuzil que matou a jovem e o filho que ela esperava.

Adolfo Ledo